domingo, 23 de maio de 2010

JESUS NO GETSÊMANI


Os evangelhos nos revelam diversos momentos de sofrimento enfrentados por Jesus. Nossa vida também é recheada de dores. Jesus é um ser humano igual a nós em tudo, também quando sofre. Pensar nos males que Jesus viveu nos faz conhecê-lo melhor. Nos possibilita um acesso mais seguro ao seu coração humano. São fatos que “trazem” Jesus para mais perto da gente. Fazem-nos perceber que ele entende perfeitamente nossas dores e se une solidariamente a nós. Especial destaque merece a experiência d'Ele no Getsêmani.
Não compreendido, mensagem rejeitada, Jesus fica sozinho. O povo quer outro tipo de messianismo, quer fazê-lo um rei poderoso aos olhos humanos, sem cruz e sem sofrimento.Um messias político. Mas Jesus está radicalmente decidido em seguir em frente com seu ideal: amar até o fim, mesmo que tenha que sofrer e morrer. Muitos discípulos já não andavam mais com ele (Jo 6,66). Chega a hora da sua grande angústia e tentação. Hora em que o Pai fica em silêncio, não responde ao clamor do Filho:

“Ele saiu e, como de costume, dirigiu-se ao monte das oliveiras. Os discípulos o acompanharam. Chegando ao lugar, disse-lhes: ‘Orai para não entrardes em tentação’. E afastou-se deles mais ou menos a um tiro de pedra, e, dobrando os joelhos, orava: ‘Pai, se queres, afasta de mim este cálice! Contudo, não a minha vontade, mas a tua seja feita!’ Apareceu-lhe um anjo do céu, que o confortava. E, cheio de angústia, orava com mais insistência ainda, e o suor se lhe tornou semelhante a espessas gotas de sangue que caiam por terra. Erguendo-se após a oração, veio para junto dos seus discípulos e encontrou-os adormecidos de tristeza. E disse-lhes: ‘Porque estais dormindo? Levantai-vos e orai, para que não entreis em tentação’ (Lc 22,39-46)”.

A reflexão sobre este doloroso momento na vida de Jesus tornou-se um símbolo, uma referência para os nossos sofrimentos, especialmente para as situações-limites. De fato, cada um de nós tem o seu Getsêmani, aquele terrível momento de dor, de tristeza, quando tudo parece desmoronar à nossa volta. É a hora que nossa cruz pesa demais e desabafamos: por que isso está acontecendo comigo? Por que tanto sofrimento, meu Deus? É preciso que pensar nesta "hora" de Jesus e trazê-lo assim para os nossos 'getsêmanis'. É fundamental que enxerguemo-nos Nele, porque nele estamos. Não focamos o anjo do episódio, pois o miraculoso tende a criar distância entre Jesus e nós, sobretudo quando estamos no “jardim”. Também o Jesus “Poderoso” e “Glorioso” parece não dizer quase nada à pessoa vitimada por uma dor insuportável, pelo câncer em estado terminal ou para a mãe que enterra seu filho, vítima de uma bala perdida e tantas outras situações dolorosas. Contemplando Jesus no getsêmani constatamos que ele não pode ser “blindado” face ao sofrimento como se fosse um super-homem, o que nunca foi. Como nós, ele pede para ser poupado e, Deus fica em silêncio. É, Ele é um de nós, verdadeiramente.
No evangelho de Mateus Jesus diz: “Minha alma está triste até a morte. Permanecei aqui e vigiai comigo” (Mt 26,38). Ninguém atende o seu pedido. Quando os amigos somem (dormem), o sofrimento é mais selvagem, é dobrado, quase desesperador. Precisamos entender que a solidariedade com quem sofre é e sempre será o grande desafio cristão, porque é a única resposta que atenua a dor.
É duro admitir que Jesus chorou, tremeu e se entristeceu, porque isso pode afetar sua dignidade. Mas é precisamente aqui que reside a dignidade humana de Jesus, porque um homem sem temor é um ser mutilado, que se despreza a si mesmo a ponto de não mais sentir angústia a seu respeito. O temor é sinal de enraizamento na vida. Um homem sem medo deve ser temido, pois é capaz de tudo. A tristeza e a angústia tocam a alma de Jesus. Diante do sofrimento seu “poder” desaparece. É o mesmo que acontece com a gente. A “noite” de Jesus é como todas as noites, de todos os seres humanos. O seu sofrimento não é anestesiado. Rogou ao Pai que o poupasse e também a presença dos amigos. Vãs tentativas. Jesus está só e, isso é que o vincula a nós todos.
Às vezes ouvimos dizer que o nosso sofrimento é incomparável ao de Jesus porque, rejeitado e humilhado, Deus para ele se tornou incompreensível. Mas Jesus não tem interesse em sofrer mais que nós. Ao contrário, sabemos que o seu sofrimento se repete no mundo, na vida dos pobres, na vida dos doentes, quando a dor e a morte destroem as certezas que, até então, se tinha sobre Deus.
Impossível traçar a distinção entre o sofrimento de Jesus e o de outras pessoas. Qualquer sofrimento extremo experimenta o abandono de Deus. Numa Unidade de Terapia Intensiva, quando se respira com ajuda de aparelhos, a pessoa olha para o teto branco e, por alguns instantes, assiste o “filme de sua vida”. Sente um medo terrível, uma tristeza imensa. Tudo se desmorona. A morte se avizinha. A sensação da ausência de Deus o toca no mais íntimo de sua pessoalidade, levando-o às lagrimas. Está só, diante de si mesmo. Está à mercê da caridade daqueles que têm a obrigação de “administrar” sua situação. O que será de mim? Chegou a minha hora? Pensa o doente. E vê que se realiza ali o seu Getsêmani. Esta “espera” estarrecedora de alguma maneira se une à “espera” de Jesus. O doente fecha os olhos e pensa em Jesus. Ele mexe seus dedos e, vê que é Jesus pegando em sua mão. Jesus está vivo, ali com seu discípulo dizendo: estou aqui meu amigo e, juntos vamos lutar pela vida e amar até fim. Bendita presença amiga que renova as forças de todos os que sofrem e a ele se confiam. Fala sério: que amizade fantástica! No fundo, as pessoas que sofrem e Jesus se entendem muito bem. Depois da “luta” na oração, elas voltam embaladas no colo do Pai. É a misteriosa experiência da presença na ausência. Estão lúcidas, não tremem mais. Sabem que o sofrimento não tem a última palavra. Jesus chega onde é impossível chegar. Faz as pessoas enxergarem além do que os olhos humanos vêem. O cálice do sofrimento transforma-se em cálice da fortaleza.
Quem sofre se identifica com Jesus e não esqueçe do que ele disse: 'Eu estarei com vocês todos os dias', 'tende confiança em mim'. 'Venham para mim quando estiverem cansados e eu vos aliviarei'. 'No mundo tereis dificuldades, mas tende confiança, eu venci o mundo'.
Que bonita demais da conta é a nossa vida......com Jesus. Tem sabor de eterno, de infinito. É vida feliz, apesar do sofrimento.


Abração caprichado procêis!
Pe. Rogério Félix

6 comentários:

  1. ...nossa vida......com Jesus. Tem sabor de eterno, de infinito. É vida feliz, apesar do sofrimento.
    Profundamente bom isso!

    ResponderExcluir
  2. Oi, somos catequistas na Paróquia Nossa Senhora do Rosário, na Vila Tesouro em SJC, estamos evangelizndo também pela intenet, nos unimos aqui para levar cada vez mais longe a Palavra de Deus, às pessoas. Um grande abraço. A paz esteja sempre conosco.

    ResponderExcluir
  3. Bendita presença amiga que renova as forças de todos os que sofrem e a ele se confiam. Fala sério: que amizade fantástica!
    Realmente a presença de Jesus é que nos sustenta e revigora nossas forças na hora que o sofrimento chega em nossas vidas.Por isso nada pode nos abalar,pois nossa força e vitória vem de Jesus,que permanece sempre ao nosso lado ,embora muitas vezes nem percebemos sua presença amiga na hora do sofrimento.

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus que lindo!!!Padre Rogério, de fato, cada um de nós tem o seu Getsêmani, aquele terrível momento de dor, de tristeza, quando tudo parece desmoronar à nossa volta, no meu caso foi quando perdi meu irmão de apenas 27 anos em um acidente de moto, cheguei a ficar de mal com Deus e foi graças a você que me ensinou com tanto carinho quando disse esta frase dita por Jesus: 'Eu estarei com vocês todos os dias', você não sabe o quanto esta frase mudou minha vida, acho que vem dai meu carinho tão grande por você e não tenho medo nenhum de dizer que VOCÊ é o próprio CRISTO em minha vida, sou muito feliz por ter te conhecido e principalmente ter conhecido Cristo através de você.

    ResponderExcluir
  5. Oi Padre Rogério concordo com tudo que a minha mãe escreveu....O Senhor mudou nossa vida com esse jeito tão carinhoso de nos ensinar sobre Cristo.
    Obrigada pela oportunidade de fazermos parte de sua vida.
    E hoje digo com toda convicção ...nossa vida......com Jesus. Tem sabor de eterno, de infinito

    ResponderExcluir
  6. OBRIGADA PADRE, POR SUAS PALAVRAS, PELA SUA AMIZADE!!!!!

    ResponderExcluir